• (11) 3063-4630 / (11) 98108-6767
  • contato@artehall.com.br

  • Agenda“4 mãos” na Galeria Garage

    voltar para a agenda16/5/15 | sábado

    Israel Kislansky e Rubens Matuck apresentam mostra “4 mãos”
    na Galeria Garage

    Pinturas de Rubens Matuck  e esculturas em argila de Israel Kislansky  fazem parte da mostra  “4 mãos”, que inaugura no dia 16 de maio e segue até 26 de junho, na Galeria Garage.
    “4 mãos” é o encontro de dois artistas que se conheceram no curso de escultura do mestre em arte contemporânea J. Van Acker e que têm em comum a afinidade pelo processo artístico − pintura e escultura − e a valorização do gesto e das formas tridimensionais nos trabalhos. Professores que buscam nas figuras brasileiras a expressão do conhecimento pela arte.
    Para Rosely Nakagawa, curadora da mostra, “no trabalho dos dois artistas observamos o gesto das mãos construindo superfícies de suas competências: o painel, a argila, a tela, os pigmentos; a terra sempre. E sentimos o prazer da matéria que a mão transforma em forma, conhecendo-a assim, como eles nos apresentam”, define.
    Rubens Matuck traz 12 óleos sobre telas de linho, um trabalho que vem desenvolvendo há muito tempo, o qual chama de “Memória do Cerrado”. A cor ocre domina os quadros numa representação da terra que tem relação com o dourado do cerrado representando as cores da natureza.
    Num afastar e aproximar da obra aparecem corpos de figuras femininas, que fazem parte da natureza do cerrado. “O que surge na superfície como resultado do trabalho não pode ser avaliado apenas em sua aparência. O volume, o movimento, as cores, tem uma busca para além do tema.”, define Nakagawa.
    Uma série de 20 esculturas em cerâmica de alta temperatura compõe o trabalho de Israel Kislansky. O resultado se concretiza em torsos femininos, alguns esmaltados. Esta série de esculturas faz parte da investigação do artista sobre o movimento e a leveza (do modelo e do escultor), numa sincronia que é perceptível em cada gesto impresso na argila.
    “Para esculpir, Israel procura a argila da flexibilidade e texturas adequadas à temperatura da queima. Seu gesto impresso na modelagem da forma controla o resultado do volume e textura que surgem depois de cada etapa da cerâmica. Cada passo é considerado para incluir-se no seu universo plástico” , define Nakagawa.