• (11) 3063-4630 / (11) 98108-6767
  • contato@artehall.com.br

  • Agenda“A Caixa Maravilhosa” l Keila Alaver na Galeria Jaqueline Martins

    voltar para a agenda27/5/15 | quarta-feira

    Keila Alaver apresenta a instalação “A Caixa Maravilhosa” na Galeria Jaqueline Martins

    Dando continuidade à programação do espaço glory hole, o pesquisador Bruno Mendonça convida para a terceira ocupação a artista Keila Alaver, que apresenta projeto inédito a partir de 27 de maio, das 18h às 22h. Partindo da aproximação com o termo Raree Show ou “Espetáculo Raro”, a artista Keila Alaver apresenta a instalação “A Caixa Maravilhosa” que se coloca como um desdobramento de alguns trabalhos realizados pela artista na qual cria instalações que ficam no limite entre o décor e a ambiência.

    Tomando como input o termo sanduk al-ajayib (“A Caixa Maravilhosa”) – forma como era chamado o entretimento “Raree Show” na Síria Otomana, a artista Keila Alaver realizará uma instalação na qual criará um ambiente enigmático, bizarro e surreal. Este ambiente pode ser pensado como um Gabinete de Curiosidades que popularmente e de forma muito interessante eram chamados  de “Os Quartos das Maravilhas” entre os séculos XVI e XVII.

    Nestes ambientes coleções de diferentes naturezas eram apresentadas, mas as mais conhecidas eram separadas em quatro eixos: artificialia, onde eram agrupados objetos criados ou modificados pela mão humana ( antiguidades, obras de arte, etc.); naturalia, onde eram agrupados as criaturas e objetos naturais; exotica, onde eram agrupados plantas e animais exóticos ; scientifica, onde eram agrupados os instrumentos científicos. A artista parte então dessas questões históricas para a criação desse ambiente na qual misturará obras, elementos e técnicas de trabalhos anteriores como “A Loja” realizada na Galeria Luisa Strina em 2006, “Corpo Mobília” de 2013, “Jardim Pele de Pêssego” de 2009, “Floresta Banheiro” realizada na Galeria Vermelho em 2007, entre outros.

    Sobre o Programa de Exposições Raree Show:

    Ao longo do primeiro semestre de 2015 o pesquisador Bruno Mendonça realizará quatro exposições a partir da noção de “Espetáculo Raro” – tradução em português para o termo Raree Show, um tipo de entretenimento antigo (século XV na Europa) e conhecido em várias culturas. Um raree show poderia ser uma caixa de madeira com um ou mais buracos. Geralmente, o interior das caixas era decorado para reproduzir o aspecto de uma cena teatral O espetáculo era acompanhado por uma recitação dramatizada, explicando o que estava acontecendo em seu interior. Na Síria Otomana a chamavam de sanduk al-ajayib (“A Caixa Maravilhosa”) que narrava histórias relacionadas à religião e às crenças locais. Na modernidade os raree shows ou peep-shows passaram a ser utilizados para apresentações de imagens eróticas e pornográficas, desde o final do século XIX. Em seu uso contemporâneo, um raree show é uma apresentação de partes de filmes pornográficos ou de um show de sexo ao vivo, que é vista através de um slot de visualização, e se fecha após um curto período de tempo.

    O espaço glory hole, inaugurado em fevereiro de 2015 com instalação da dupla Tetine, nasceu como desdobramento da proposta conceitual da galeria, que acredita em uma programação nutrida pela pesquisa, estabelecendo-se como plataforma de ideias e experimentações práticas e teóricas.

    O espaço é destinado a projetos especiais e dá oportunidade a curadores e artistas de diferentes gerações para materializarem suas pesquisas realizando exposições de caráter fortemente experimental. Inserido dentro do prédio da galeria, glory hole apresenta escala e dimensões que fogem do padrão convencional dos espaços arquitetônicos expositivos (2,15 x 1,38 x 0,90 cm). Tendo como referência projetos como o museu NuMu – Nuevo Museo de Arte Contemporâneo de Guatemala, o espaço White Cubicle em Londres, assim como a histórica galeria L’Attico de Fabio Sargentini, a proposta também se relaciona com outros projetos e plataformas nacionais e internacionais que tem se apropriado de diferentes tipos de espaços arquitetônicos para exposição e reflexão a respeito de produções artísticas contemporâneas.