• (11) 3063-4630 / (11) 98108-6767
  • contato@artehall.com.br

  • AgendaA galeria Luisa Strina apresenta individual de Marcellvs L. e Erick Beltrán

    voltar para a agenda

    MARCELLVS L.

    A Galeria Luisa Strina tem o prazer de apresentar “Indiferença”, a segunda exposição
    individual do artista Marcellvs L. na Galeria.

    marcellvc 3

    Marcellvs L. irá apresentar na Galeria uma exposição composta por cinco peças: quatro
    videoinstalações e uma instalação sonora. As cinco obras serão expostas de forma
    orquestrada, em loop, no espaço expositivo.

    A instalação Light defining Light (2013), é composta por três momentos distintos gravados
    entre os solstícios de verão e inverno de 2012 na Islândia. A questão fundamental deste
    trabalho é colocar em diálogo a gradual diminuição da luz natural e a consequente
    amplificação da luz elétrica durante a passagem das estações do ano, apresentado como a
    luz natural defini a luz artificial e vice e versa, ao contrário da oposição tradicional luz e
    escuridão.

    O trabalho Specular (2013), foi elaborado a partir de dois vídeos gravados num mesmo local
    em momentos distintos: sob maré baixa o rio esvaziando e sob maré alta o rio enchendo. A
    posição da lente foi levemente alterada em cada vídeo, e projetados em paralelo criam uma
    paisagem expandida mas, em um primeiro momento, parece apenas espelhada, revelando
    uma certa dúvida sobre a função do reflexo.

    A instalação sonora Balbakken surgiu de uma colaboração entre Marcellvs L. e o artista
    norueguês Munan Øvrelid. Para elaborar a peça sonora, os dois artistas partiram de estudos
    do pai de Øvrelid, um matemático aposentado, que gasta parte de seu tempo livre
    observando aves. Durante o inverno de 2012-2013 ele registrou metodicamente as diferentes
    ações das aves na árvore do seu jardim: suas relações com as alterações de temperatura, os
    tipos e o número de aves, o tempo e a duração da permanência e a quantidade de alimentos
    distribuídos e ingeridos. Estas observações e cálculos resultaram num gráfico que resume a
    vida em torno da árvore durante o inverno.

    A partir destas informações a dupla de artistas compôs sete peças sonoras, correspondentes
    aos meses de outubro a abril, utilizando como ponto de partida os sons dos respectivos
    pássaros organizados a partir de um sistema de traduções sonoras baseado no gráfico do
    comportamento das aves.

    0720 (2012) e 9493 (2011) são dois trabalhos que fazem parte da série VídeoRizoma, que o
    artista está desenvolvendo desde janeiro de 2002. Está série lida com o conceito de rizoma
    de forma ampliada, extrapolando os campos da Botânica e da Filosofia, propondo uma
    vivência das categorias filosóficas e das funções científicas.

    O vídeo 9493 apresenta um garoto em uma barraca, instalada em uma região inóspita da
    Islândia, jogando videogame no meio de uma tempestade. O menino está concentrado em
    seu jogo e completamente indiferente à realidade ao seu redor, da mesma forma que a
    realidade da natureza está completamente indiferente à realidade do garoto. O trabalho
    pretende explorar esta indiferença humana à uma ordem estabelecida e compartilhada se
    movimentando em paralelo à fundamental indiferença da natureza em relação ao homem.

    ERICK BELTRÁN

    erick beltran

    A Galeria Luisa Strina tem o prazer de apresentar “The orange peel problem (O problema da
    casca de laranja)”, a segunda exposição individual do artista Erick Beltran na Galeria.

    Erick Beltran nasceu em 1974, na Cidade do México, e atualmente vive e trabalha em
    Barcelona. É um artista conceitual com uma produção focada na investigação dos sistemas
    de comunicação, como também no estudo crítico das formas de estruturação e
    categorização do conhecimento.

    Nesta exposição, o artista tematiza a problemática da representação de superfícies esféricas,
    como sugere o título da mostra, e por analogia da superfície terrestre. A cartografia não
    dispõe de técnicas que permitam representar as superfícies esféricas de forma plana sem
    ocorrer em distorções, e esta impossibilidade é explorada pelo artista que apresenta uma
    coleção de modelos de representações cartográficas.

    Dentre as diversas exposições em que o artista participou destacam-se: Piezas de juego
    (individual), Thyssen-Bornemisza Art Contemporary, Wlen, Áustria (2013), Cartografías
    contemporáneas. Dibujando el pensamiento, Fundación La Caixa Forum, Barcelona,
    Espanha (2012), The World Explained (individual), Troppen Museum, Amsterdam, Holanda
    (2001),11ª Biennale de Lyon, Lyon, França (2011), Manifesta 8, Murcia, Espanha (2010), 28ª
    Bienal de São Paulo – Em vivo contato, Sao Paulo, Brasil (2008), Subversiones diarias,
    MALBA, Buenos Aires, Argentina (2005), Analphabet (individual), Stedelijk Museum Bureau,
    Amsterdam, Holanda (2005), Transmigraciones, Trienal Poligrafica de San Juan, Puerto Rico
    (2004),

    Possui obras nas seguintes coleções: Deutsche Bank Collection, Berlim, Alemanha,
    Museo Nacional Reina Sofia, Madri, Espanha, Biblioteque Nationale de França,
    MUSAC, Museo de Arte Contemporáneo de Castilla y León, Espanha,
    Colección Jumex, Museo Universitario de Arte Contemporaneo (MUAC) UNAM,
    Contemporary Art Center, Osaka, Japão, Instituto de Cultura Portoriquena, San Juan, Puerto