• (11) 3063-4630 / (11) 98108-6767
  • contato@artehall.com.br

  • AgendaArtEEdições Galeria apresenta – Fragmentos

    voltar para a agenda

    ArtEEdições Galeria

    15107

    De 3 de outubro a 28 de novembro, a ArtEEdições Galeria apresenta a exposição “Fragmentos”, com obras dos brasileiros Leda Catunda e Nino Cais, e dos britânicos Peter Blake, Victor Burgin, Siobhán Hapaska, Elisabeth Magill, Gillian Wearing e Gavin Turk. Essa é a segunda exposição da galeria, inaugurada em março de 2014, por Claudia Marchetti, representante exclusiva no Brasil da Paragon Press e da Alan Cristea Gallery, grandes editoras de gravuras do Reino Unido.

    Com texto crítico do curador Jacopo Criveli Visconti, a exposição reúne 18 obras que mostram como elementos da realidade são usados na produção contemporânea. “Na conjuntura de um momento histórico extremamente delicado do ponto de vista social e político, a exposição busca refletir sobre a maneira como vários artistas contemporâneos recorrem a fragmentos provenientes do âmbito do cotidiano, da própria história da arte ou de outros registros da produção cultural para construir suas próprias obras”, afirma Jacopo.

    Primeira artista brasileira a editar suas gravuras em âmbito internacional com a Paragon Press, Leda Catunda terá duas obras expostas: Lovers e Rio, ambas da série Night Club, formada no total por oito xilogravuras sobre gravura em polímero. “Ambas tiveram uma tiragem de 60, número considerado baixo para uma edição global”, conta Claudia Marchetti.

    Nino Cais foi convidado para criar duas obras inéditas para a mostra, concedidas pela Galeria Central, que representa o artista. Destaque para a obra Conversadeira, em que duas cadeiras são unidas (ou separadas) por facas. Esse é o único trabalho tridimensional da exposição. “Nino instaura uma relação insólita e um delicado equilíbrio entre violência e criação, instigando questionamentos sobre a essência e o peso do que é visto”.

    Representando a Pop Art britânica, a mostra também conta com as obras do precursor Peter Blake (série Alfabeto, em serigrafia de 1991), na qual ícones e símbolos da cultura de massa são exaltados como elementos fundadores da mesma cultura da arte.

    Os demais artistas britânicos fazem parte da chamada geração YBA (Young British Artistas), da década de 1990.