• (11) 3063-4630 / (11) 98108-6767
  • contato@artehall.com.br

  • AgendaAteliê 397

    voltar para a agenda15/6/16 | quarta-feira

    EROTX | Aurore Zachayus

    AVISO A MNEMOSYL:

    NÃO NOS REDUZIREMOS A SEU CATÁLOGO DE MEMÓRIAS, NEM CABEREMOS NO SEU PROJETO DE SUPRESSÃO DAS DIFERENÇAS!

    atelie397

    A VIDA NAS GRANDES CIDADES ASSUME uma nova conformação com o fenômeno da venda de memórias artificiais em larga escala. Entre as edificações genéricas de subjetividade que nos são ofertadas, a presença de um imperativo corretivo que se volta para o apaziguamento de tensões sociais, numa espécie de anestesia política, torna-se evidente. Onde quer que sua programação molecular se inocula, o pensamento se curva ao estado das coisas, inofensivo e indiferente.

    Assim, é sintomático que, ao iniciar suas atividades, uma empresa como a Mnemosyl tenha se apropriado da imagem do Homem Vitruviano, de Leonardo da Vinci – uma representação gráfica do ideal clássico das proporções humanas – como referência visual. Ao estabelecer parâmetros de regulação da identidade pela manipulação da memória, seus coquetéis hormonais pretendem redesenhar, a partir de um repertório parco, a experiência humana.

    No logo da multinacional farmacêutica, a figura do Homem dá lugar a um corpo liso e sem rosto, como se obliteradas as marcas de diferenciação que caracterizariam sua identidade. Trata-se de uma representação adequada para o apagamento massivo de memórias “conflituosas” ou “indesejáveis” em favor de repertórios genéricos de experiência, na forma de viagens turísticas e relacionamentos amorosos.

    Com tal redução, tudo aquilo que advém da complexidade da percepção, do caráter reflexivo, da dimensão poética e das articulações políticas do pensamento – na vivência corporal dos acontecimentos – esmorece, fechando-nos às diferenças e ao imprevisto. Não à toa, o número de casos de sabotagem e de intervenções nos códigos de programação veiculados nestes produtos tem crescido significativamente, ainda que ignorados pelos grandes veículos midiáticos. Ações como estas são exemplares enquanto formas de resistência às estratégias normativas.

    Sabemos que sob a égide do trabalho capitalista, a multiplicidade da experiência humana sofre constantes investidas colonizadoras pela lógica mercantil. Diante destas dinâmicas, faz-se necessário percorrer os interstícios por onde se propagam vetores desviantes, articular redes de pirataria, de distribuição, colaboração, trocas e experiências coletivas, de modo que a imaginação possa encontrar-se no real. Contra a asfixia do imaginário, devemos retomar a energia das práticas autonomistas e contrapor ao mapa das forças mercantis uma cartografia provisória e errante, que faça multiplicar as formas de vida para produzir outras memórias.

    Assim, conclamamos:

    ABAIXO A DOMESTICAÇÃO DA EXPERIÊNCIA!

     

     

    EROTX

    O Ateliê397, com apoio da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, via Proac, convida a todos para a exposição EROTX, da artista Aurore Zachayus, com curadoria de Yudi Rafael, como parte da programação do projeto Corredor397 – 2016.

    Na ocasião da abertura, a convite da artista Aurore Zachayus, a Mnemosyl realizará um coquetel de lançamento do seu mais recente produto, o EROTX. Amostras gratuitas serão distribuídas durante o evento, mediante a assinatura de um termo de responsabilidade.

    A mostra, que segue aberta para visitação até o dia 14 de julho, constitui-se então como reminiscência do evento, do espaço organizado para a produção da experiência e os vestígios do acontecimento.

    Serviço:
    Abertura: 15/06 a partir das 19h30
    Visitação: 16/06 a 14/07 de 2016
    Segunda a sexta-feira, das 14h às 19h.

    Local: Ateliê397
    Rua Wisard, 397 – Vila Madalena

    Mais informações:
    Tel: 3034-2132
    atelie397.com

    Programação gratuita.