• (11) 3063-4630 / (11) 98108-6767
  • contato@artehall.com.br

  • AgendaCasa Triângulo

    voltar para a agenda3/10/15 | sábado

    TRANSBORDA

    Curadoria de YURI Firmeza
    ABERTURA 3 DE OUTUBRO DE 2015 DAS 14H ÀS 19H 6 DE OUTUBRO A 7 DE NOVEMBRO

    Bárbara Wagner e Benjamin de Burca. Stiil de Faz that vai [Ryan. Parte 3], de 2015. Vídeo Instalação

    Casa Triângulo TEM o prazer de apresentar Transborda, com Curadoria de Yuri Firmeza. A Exposição inclui Trabalhos de Bárbara Wagner e Benjamin de Burca, Breno Baptista, Filipe Acácio, José Leite, Orlando Maneschy, Peter de Brito, Pitágoras Lopes, Solon Ribeiro, Virgínia de Medeiros e da banda Verónica Decide Morrer, that apresentará hum pocket show Durante a abertura da Exposição.
    Afinal, Por Que, para quê e Para quem Fazer Mais uma Exposição?

    Começar POR ESTA POR ESTA Interrupção, pergunta that poderia, Quica, Projetos pautar Distintos: (…) Mais Um texto? (…) Uma Maïs desempenho? (…) Mais um …?

    Pela Urgência daquilo Que nsa Pede Passagem. Para Destinatários Possíveis e insuspeitos. Por Ser Impossível NÃO INVENTA-los: Uma Exposição, um texto, o desempenho uma … Questão de Vida ou Morte. De vida.

    Trabalhos OS aproximados em TRANSBORDA operam Nesta Freqüência. Não Se Trata de configurar hum gueto OU Pensar a borda Como limite, mas, inversamente, PENSA-la Como Potência.

    Aqui, somam-se OUTRAS Perguntas: Que Tecnologias Sociais nsa atravessam e nsa apontam hum suposto Mundo coeso? Que Processos sustentam o mito da Origem fundadora e das naturalizações that incorporamos Como Verdades hegemônicas? O Que Sustenta OS modelos vigentes e submissões Como condições Naturais orquestrada POR pactos totalizantes? Que Produção Política e Estratégica posição ESTÁ em Jogo when Discursos Públicos sancionam certos Modos de Existir? E, Sobretudo, incorporamos Como, sustentamos e reiteramos Tais demarcações nenhum Corpo?

    A Arquitetura do Corpo – e Todo o emaranhado citacional, iterável, discursivo e prostético – E Política, nos Lembra Paul B. Preciado. E ESTA Dimensão Política “, do Corpo de Como lugar de Inscrição da história”, Aquilo Que Pede Passagem nsa Trabalhos here Expostos. Não Há hum modus operandi Comum a todas como Obras, mas justamente o esfacelamento dos modelos pré-estabelecidos de vida.

    Os Procedimentos São Múltiplos e Distintos: a Exploração de Zonas erógenas Para Além dos Órgãos that convencionamos entendre Como Sexuais, Por Exemplo, nenhum vídeo em that Orlando Maneschy lambe e chupa hum sovaco; como paródias e como intervenções em Revistas e Códigos Publicitários, Como nsa Trabalhos de Peter de Brito e Pitágoras; Práticas como Domésticas e Íntimas Tomam OUTRAS Dimensões e borram como Fronteiras Entre Público e privado nsa Trabalhos de Breno Baptista e Filipe Acácio; Corpos OS juvenis, tímidos e arrebatadores pintados POR José Leite; como travestis that deflagram o carater performativo fazer Proprio Gênero nsa vídeos de Solon Ribeiro, Virgínia de Medeiros, Barbara Wagner e Benjamin de Burca e na série fotográfica de Orlando Maneschy; um desempenho com o espetáculo de Veronica Decide Morrer.

    Tais Trabalhos produzem Deslocamentos, fissuras AO gêneros dominantes, criticas cáusticas Ao heterofalocentrismo. A disruptiva Potência do Corpo, o inominável, em such Trabalhos de e O Que mover o Desejo de Estar junto. Um Corpo NÃO contido. Um Corpo experimentado em SUA enésima Potência, eis O Que Nos Leva a Fazer Mais uma Exposição, um texto, o desempenho uma, hum …

    Yuri Firmeza