• (11) 3063-4630 / (11) 98108-6767
  • contato@artehall.com.br

  • AgendaGaleria Contempo promove primeira individual de Eric Frizzo Jonsson

    voltar para a agenda

     

    Em cartaz a partir de 8 de agosto, exposição reflete trabalho
    pictórico e audiovisual com estética distópica. “Espelho” por Eric Frizzo Jonson (Jofer), com curadoria de Mario Gioia

    IMG_3291_CMYK_flat-2

    A partir de 7 de agosto, a Galeria Contempo, das irmãs Marina, Mônica e Márcia Felmanas, acolhe uma nova mostra.  Trata-se de “Espelho”, primeira individual do artista paulistano Eric Frizzo Jonsson (Jofer) neste espaço da Vila Madalena que contempla novas poéticas para as artes contemporâneas e mantém, entre seus artistas, jovens talentosos e promissores. “As escolhas das individuais foram pensadas para compor o calendário da Contempo. Estreiamos com o Bokel, que não é grafiteiro, mas tem uma forte influencia da arte urbana. Jonsson, por sua vez, é bem diferente disso. Ele tem uma pintura forte, estética colorida e trabalhos variados, assim como o vídeo que faz parte da mostra”, diz Marina, uma das sócias-proprietárias da galeria.

     

    Em “Espelho”, Jonsson reflete, por meio da pintura e de recursos audiovisuais, a condição humana entrelaçada por uma visão distópica do mundo. Para evocar esta poética na imagem, ele investiga paisagens estranhas e frágeis que se descortinam, se desmancham e se dilaceram. Figuras ou pré-personagens perturbadas se manifestam em uma profusão de cores dispostas em um panorama caótico. Em 20 telas, ele reúne fragmentos de memórias, registros antigos e descartes familiares e afetivos. Inspirados no filme “O Espelho” (1975), de Andrei Tarkovski (1932-1986), os vídeos do artista também se fundamentam na temática da impermanência, diferenciando-se da produção pictórica com imagens assentadas.

     

    “Se é o fragmento que seduz nas pinturas de gestos largos e livres e são as composições mais pausadas dos planos (e do extracampo) nos vídeos, a fotografia, agora, provoca novos e fecundos sentidos em sua produção”, comenta o curador, Mario Gioia, sobre o trabalho do artista da Contempo.

     

     

    Sobre Eric Jonsson

    Nasceu em 1981, em São Paulo, onde vive e trabalha. É formado pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), com bacharelado em Artes Plásticas.

     

    Exposições Coletivas:

    35 Anual de Arte, FAAP (FAAP 2003)

    37 Anual de Arte, FAAP (FAAP 2005)

    Mostravideo, Itaú Cultural (São Paulo 2007)

    Comunismo da Forma, Galeria Vermelho (São Paulo 2007)

    Ctrl C Recortar Ctrl V Colar, Sesc Pompeia (São Paulo 2007)

    10 a Mil, Escola São Paulo (São Paulo 2007)

    Entre Tempos, Carpediem (Lisboa 2009)

    Projeto Portfolio, Aktuell, (São Paulo 2010)
    Ateliê Fidalga no Paço das Artes, Paço das Artes (São Paulo 2010)

    Boite Invaliden, Invaliden1( Berlin 2011)

    Friends of AGORA, AGORA (Berlin 2011)

    Coletiva, Galeria Ímpar (São Paulo 2011)

    Coletiva de Desenho, Quase Galleria (Porto 2012)

     

     

    Sobre a Galeria Contempo

    Galeria de arte contemporânea localizada na Vila Madalena, em São Paulo, a Contempo é a materialização de um ideal estético das irmãs Marina, Mônica e Márcia Felmanas, filhas de Miguel Felmanas, da famosa Galeria Pro Arte, que buscavam um espaço no qual pudessem acolher e apresentar novas poéticas das artes contemporâneas. Herdeiras naturais do savoir faire e do olhar atento para perceber a potência das expressões artísticas clássicas e de vanguarda, sem perder de vista o desejo subjetivo e transitivo do mercado, a Contempo foi inaugurada em março de 2013, com foco em colecionadores e apreciadores da atual produção artística. Em seu acervo, acolhe obras e trabalhos assinados por jovens promissores e talentosos, como Antonio Bokel, Rafael Suriani, Fernanda Guedes, Eric Jonsson, David Magila, Fernanda Izar, Luciana Felippe, Alvaro Tomé, Claus Lehman e Ulisses Garcez. Ao reunir distintas linguagens e estéticas, a galeria transita no universo da pintura, do desenho, da gravura, do tridimensional e da fotografia, aproximando-se, ainda, de ‘lugares’ não tão ‘visitados’, como a moda, HQs e arte de rua.

     

    Sobre Mario Gioia

    Graduado pela ECA-USP (Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo), foi o curador de “Ela Caminha em Direção à Fronteira”, de Ana Mazzei, primeira individual da série de exposições Zip’Up, em 2012, o segundo ano do projeto na Zipper Galeria. No mesmo ano, fez as curadorias de “Miragem”, de Romy Pocztaruk, e “Distante Presente”, de Gordana Manic (Galeria Ímpar). Atualmente, colabora para diversos veículos, como a revista Bravo e o portal UOL, além das revistas espanhola Dardo e da italiana Interni. É co-autor de Roberto Mícoli (Bei Editora) e faz parte do grupo de críticos do Paço das Artes, instituição na qual fez o acompanhamento crítico de “Black Market” (2012), de Paulo Almeida, e “A Riscar” (2011), de Daniela Seixas. É crítico convidado do Programa de Fotografia 2012/2013 do CCSP (Centro Cultural São Paulo).

     www.galeriacontempo.com.br