• (11) 3063-4630 / (11) 98108-6767
  • contato@artehall.com.br

  • AgendaGaleria Nara Roesler inaugura ‘MOTO’ e ‘Roesler Hotel #25 — Dispositivos para um mundo (im) possível’.

    voltar para a agenda

    No dia 15 de fevereiro, a Galeria Nara Roesler inaugura duas exposições, MOTO e Roesler Hotel #25 — Dispositivos para um mundo (im) possível.

    MOTO

    Segunda individual de Raul Mourão na galeria, a mostra reúne esculturas cinéticas, pinturas, desenhos, fotos, vídeos e uma instalação em homenagem ao artista popular Selarón, morto em 2013. Mourão dedica a mostra ao designer André Stolarksi (1970-2013).

    O artista comenta: “a diversidade de suportes e temas é resultado de um dialogo direto com o livro MOTO, em que estou trabalhando desde julho passado. O livro é um ensaio visual que mistura documentação de obras realizadas, projetos em andamento, maquetes, pequenos desenhos e um encarte em homenagem ao artista Selarón. A partir de setembro resolvi transpor parte do livro para a exposição de mesmo nome. Diferente das ultimas exposições, no MAM, na Praça Tiradentes (ambas no Rio) e na própria Galeria Nara Roesler, onde apresentei essencialmente esculturas cinéticas, a exposição MOTO apresentará um conjunto heterogêneo de obras revelando uma diversidade que é traço marcante da minha produção desde o início, mas que nos últimos anos andava obscurecida.”

    16:01:42 14/01/2013 (Bólide/Parangolé/Selarón) da série Timeline - raul mourão 2013 pigmento mineral sobre papel fotográfico de algodão 34 x 34 cm.

    16:01:42 14/01/2013 (Bólide/Parangolé/Selarón) da série Timeline – Raul Mourão, 2013.
    Pigmento mineral sobre papel fotográfico de algodão.
    34 x 34 cm.

     

    #SETADERUA_20 - raul mourão 2013 óleo sobre papel 20 x 20 cm cada.

    #SETADERUA_20 – Raul Mourão, 2013.
    Óleo sobre papel.
    20 x 20 cm cada.

     

    Roesler Hotel #25 — Dispositivos para um mundo (im) possível.

    Com curadoria de Luisa Duarte, a exposição exibe um recorte da produção artística contemporânea a partir da década de 1980, buscando convergir poesia e política, estética e ética em obras que, segundo a curadora, “partem da constatação do fim das utopias modernas” e das quais “surge uma espécie de niilismo ativo, bem como a sobrevivência de algum valor crítico, humanista, e remotamente esperançoso”.

    Obras de André Komatsu, Antonio Dias, Carlos Bunga, Carlos Garaicoa, Clarissa Tossin, Felipe Arturo, Guido van der Werve, Jorge Macchi, Laercio Redondo, Lais Myrrha, Leonilson, Lucia Koch, Marcius Galan, Marilá Dardot, Melanie Smith, Milton Machado e Nicolás Robbio fazem parte da exposição.

    Pré-moldado 11 - André Komatsu. 2014. Erro, aço galvanizado, verniz e papelão 106 x 255 x 3 cm

    Pré-moldado 11 – André Komatsu. 2014.
    Erro, aço galvanizado, verniz e papelão
    106 x 255 x 3 cm

    White Marble Everyday Clarissa Tossin, 2009. Vídeo HD em dois canais 5'42''

    White Marble Everyday Clarissa Tossin, 2009.
    Vídeo HD em dois canais
    5’42’