• (11) 3063-4630 / (11) 98108-6767
  • contato@artehall.com.br

  • AgendaGaleria TATO apresenta a primeira individual do argentino Pablo Saborido em São Paulo

    voltar para a agenda

     

    Imagens revelam paisagens desnaturalizadas e lados desconhecidos da Patagônia argentina

    Imagens revelam paisagens desnaturalizadas e lados desconhecidos da Patagônia argentina

    A Galeria TATO apresenta, a partir de 22 de fevereiro de 2014, das 12h às 16h, a exposição “Paisagens Próximas do Fim do Mundo”, do fotógrafo argentino Pablo Saborido. A mostra, que acompanha texto de Tobi Maier e Joana Barossi exibe uma série fotográfica realizada em 2009, na região da Patagônia argentina, local  onde paisagens bucólicas sofrem intervenções da exploração de petróleo. A mostra fica em cartaz até 22 de março de 2014.

    São fotografias de lugares desumanizados e desnaturalizados, cujos belos horizontes ainda se preservam, em algumas imagens é possível perceber a natureza retomando seu espaço e alterando mais uma vez a paisagem.

    A série “Paisagens Próximas do Fim do Mundo” é resultado de uma viagem de Pablo Saborido a cidade de Comodoro Rivadavia, em 2009, que também é conhecida como a capital argentina do petróleo.  A busca pelo ouro negro mudou radicalmente a vida dos habitantes dessa comunidade em muitos aspectos. A cidade viveu ciclos de riqueza, mas na atualidade sofre com a decadência da atividade industrial.

    As marcas deixadas pela extração do petróleo e pela presença do ser humano parecem questionar o título, intencionalmente, ambíguo desta exposição – “Paisagens Próximas do Fim do Mundo”. O tema pode se referir à condição remota deste território, mas também pode remeter a questionamentos mais filosóficos sobre os males da exploração humana e suas consequências.

    TSantos Assessoria de Comunicação

    R. Alameda Eduardo Prado, 723, cj. 13

    Tel. (11) 2679-6721 | 98489-8228.

    Veja algumas imagens de “Paisagens Próximas do Fim do Mundo”, de Pablo Saborido:

     

    001

    002

    003

    005

    008

    007

     

    Este post é um publieditorial