• (11) 3063-4630 / (11) 98108-6767
  • contato@artehall.com.br

  • Agenda“Image-As-Image”, de Alberto Lezaca na Galeria Eduardo Fernande

    voltar para a agenda

    A Galeria Eduardo Fernandes exibe, a partir da próxima terça-feira, 18 de novembro, a exposição “Image-As-Image”, do colombiano Alberto Lezaca.

    Alberto_Lezaca_Image-as-image_1

    O artista Alberto Lezaca vive e trabalha em Bogotá, Colômbia. Sua obra mescla diferentes mídias, incluindo escultura, vídeo, computação gráfica e instalação, nas quais explora as relações de caráter especulativo com a arquitetura e a representação figurativa.

    Buscando articular o invisível – chamando a atenção para formas negligenciadas ou dando forma ao imaginário – Lezaca procura encontrar com sua experimentação um espaço onde os sistemas de comunicação estabelecidos se desarticulem, fazendo com que a memória se deteriore e desapareça.

    Sua obra configura um ponto de vazio, um espaço onde nada é útil, onde os sentidos são agredidos pela invisibilidade, onde a mente oscila entre a incapacidade de compreender e o impulso de reconstruir a partir de partículas e detritos da realidade, a imagem e o som do que lembramos e aprendemos.

    Na exposição individual apresentada na Galeria Eduardo Fernandes, o artista trabalha em uma série a partir de um conjunto de imagens documentais, publicadas originalmente em revistas, jornais ou internet. Lezaca faz montagens fotográficas em preto e branco, dando origem a novas imagens sem qualquer comprometimento com o que poderíamos chamar de veracidade.

    Assim, a partir de originais como a foto de Ad Reinhardt em seu estúdio em 1962, o estúdio de Marcel Duchamp em Paris em 1927, o funeral de Kazimir Malevich em 1935 e o estúdio de Mark Rothko em Nova York, por exemplo, Lezaca faz interferências digitais, num processo de criação que vai além de um diálogo entre história da arte e arquitetura, da exploração de um padrão estético e problemas históricos.

    As imagens com as quais Lezaca trabalha não foram selecionadas a esmo. Suas montagens fotográficas, produzidas com modelos de protótipos arquitetônicos, buscam os conceitos utópicos que habitam a visão daqueles que projetam os espaços e objetos que nos acompanham em nossas vidas.

    Nessa série apresentada na galeria, vemos claramente o interesse de Alberto Lezaca em mostrar de maneira muito clara a abstração descrita por Malevitch no Manifesto Suprematista, a maneira como Duchamp ressignificou objetos ordinários e o senso místico das pinturas de Rothko. Da mesma maneira, o nome da exposição faz alusão aos textos “Art-as-Art”, de Reinhardt.

    “Eu acredito que a História é um mecanismo de criação de estruturas mentais, e talvez a História seja apenas certa maneira de criar algo que nunca ocorreu”, afirma Lezaca.

    “Meu modo de produção”, prossegue o artista, “é influenciado por um profundo interesse no conceito do ‘protótipo’, entendido como uma ideia primal que dá forma aos objetos e utensílios que nos rodeiam. Também tenho interesse na linguagem como construção cultural, principalmente no quanto ela determina o modo como entendemos o mundo material, criando categorias e estruturas mentais.”