• (11) 3063-4630 / (11) 98108-6767
  • contato@artehall.com.br

  • AgendaLuiza Baldan em residência no edificio Copan, realiza exposição individual no Pivô

    voltar para a agenda

    O projeto “Corta Luz”, contemplado pela Bolsa de Estímulo às Artes Visuais da Funarte, expõe uma reflexão sobre o habitar na
    região central da cidade, tecendo relações entre arquitetura e o cotidiano do entorno do Edifício Copan, através de fotografias,
    vídeos, texto e som.

    Luiza Baldan 3

    PIVÔ CONVIDA apresenta o projeto Corta Luz, da carioca Luiza Baldan. A artista aluga uma quitinete durante o mês de julho no Edifício Copan e, a partir da relação entre a casa e o ateliê no Pivô, situado no mesmo edifício, desenvolve a sua pesquisa. Neste processo, obra e vida se misturam em uma performance dilatada, que começa em casa e se alastra pelo prédio, ateliê e
    ruas do centro da cidade. A obra não tem um fim em si mesma, sendo uma experiência recorrente na vida da artista, que vai mudando de endereço de tanto em tanto para produzir trabalhos desta natureza.
    No caso de São Paulo, o Copan é um dos maiores ícones arquitetônicos, e por isso é escolhido por Baldan para viver durante 4 semanas, tendo o prédio como ponto de partida para a investigações em seu entorno. Ela volta seu olhar para as transformações dessa região específica, em parte resultantes de processos de gentrificação e especulação imobiliária, focando tanto nos acontecimentos do cenário vertical da cidade quanto na intimidade dos interiores do Copan. Seu olhar transcende a estética dos marcos da arquitetura modernista para deter-se em pormenores do cotidiano local.
    Todo o trabalho de ateliê da artista é criado no mesmo lugar em que será mostrado ao público, uma ampla sala do Pivô. Nessa vivência prolongada com o espaço expositivo a artista incorpora a história, a arquitetura e o contexto do Pivô na sua pesquisa. Esse processo aliado à rotina de inserção progressiva na cidade, caminhando e registrando seu percurso diariamente, faz da proposta de Baldan um projeto não restrito às artes visuais a medida em que abre espaço para a discussão sobre arquitetura e urbanismo e o papel da memória.

    Luiza Baldan 1
    Luiza Baldan realiza desde 2009 residências artísticas em edifícios emblemáticos, que pertencem ao imaginário coletivo local, relativizando os mitos populares a partir da afetividade adquirida na experiência do habitar. Entre os projetos estão o Pedregulho (Benfica, Rio de Janeiro, habitações sociais desenhadas pelo arquiteto modernista Affonso Eduardo Reidy), a Península
    (Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, “ecobairro” / “bairro-condomínio” construído em meados dos anos 2000), o edifício Rapozo Lopes (Santa Teresa, Rio de Janeiro, do final dos anos 1930, que possui a maior piscina residencial da América Latina, atualmente desativada), entre outros.
    Na inauguração da exposição será lançado e distribuído gratuitamente o livro “São Casas”, editado em 2012, com uma coletânea de trabalhos produzidos pela artista a partir de 2004.

    Luiza Baldan 2

    O PIVÔ é uma associação cultural sem fins lucrativos fundada em 2012 e destinada à realização
    de atividades de experimentação artística que propõem questionamentos críticos no campo da
    arte, arquitetura, urbanismo e outras manifestações contemporâneas.
    Com o intuito de aprofundar o conhecimento e compreensão dos processos criativos
    contemporâneos, O PIVÔ desenvolve projetos que promovem o diálogo entre artistas,
    teóricos, produtores, estudantes e público geral em esfera nacional e internacional.
    A programação contempla exposições, projetos específicos, intervenções, até edições, cursos,
    debates e palestras, alternando projetos de concepção e produção própria e parcerias diversas.
    Entre elas destacasse o programa PIVÔ CONVIDA que desenvolve propostas externas em
    diálogo curatorial com as linhas temáticas do Pivô, como no caso do projeto de Luiza Baldan.
    Nascida no Rio de Janeiro em 1980, Luiza Baldan é mestre e bacharel em Artes Visuais pela
    UFRJ (Rio de Janeiro, 2010) e Florida International University (Miami, 2002). Em 2013 realiza
    exposição individual no MAM e coletivas no Instituto Moreira Salles e no Galpão Bela Maré, Rio
    de Janeiro. Em 2012 participou do projeto nacional itinerante Rumos Artes Visuais 2011-2013 do
    Itaú Cultural, onde foi selecionada para a residência artística no CRAC Valparaíso (Chile). Das
    exposições individuais destacam-se: “Índice”, MAM (RJ, 2013); “São Casas”, Studio-X (RJ,
    2012); “Insulares e Marginais”, Galeria Mercedes Viegas (RJ, 2011); “Algumas Séries”, MAC
    (Niterói, 2011); Centro Universitário MariAntonia (SP, 2010) e “Sobre umbrais e afins”,
    Plataforma Revólver (Lisboa, 2010). Das coletivas destacam-se: “Collecting Collections and
    Concepts” (curadoria de Paulo Mendes. Guimarães, Portugal, 2012), “O Lugar da Linha”
    (curadoria de Felipe Scovino. Paço das Artes SP e MAC Niterói, 2010); “Nova Arte Nova”,
    (curadoria de Paulo Venâncio Filho. CCBB RJ e SP, 2008-2009); “BAC!” (Centre de Cultura
    Contemporània de Barcelona, Espanha, 2008). Dos prêmios destacam-se: Bolsa de Estímulo às
    Artes Visuais da Funarte (2013); XI Prêmio Marc Ferrez de Fotografia da Funarte (2010);
    prêmios aquisição no 37º Salão de Arte Contemporânea de Santo André – SP (2009) e na 1ª
    Mostra de Fotografia CCSP (2008); destaque na revista digital da Fundação Iberê Camargo
    (2007), e o Brown & Marion Whatley Scholarship (Miami, 2002). Atualmente vive e trabalha no
    Rio de Janeiro.

    “CORTA LUZ”
    Artista: Luiza Baldan
    Inauguração e lançamento do livro “São Casas”: 03 de agosto, sábado, das 14:00 às 19:00
    Conversa com a artista e Marta Ramos-Yzquierdo sobre a residencia às 15:00

    Local: Pivô

    Temporariamente a entrada do PIVÔ encontra-se dentro da galeria comercial do Copan, pela escada ao lado da portaria do bloco B.

    www.pivo.org.br
    www.facebook.com/pivoarte